O Territoire Sensible organizou na França, em janeiro e fevereiro de 2018, uma residência para artistas brasileiros. Este projeto, cujo tema é “Mudança de biótopo e outras perspectivas”, teve como ambiente a região da Provence. A direção artística foi assumida por Pierre Devin. Outros olhares foram solicitados por meio da participação de Bernard Plossu e Fabiana Figueiredo.

Esta residência é o primeiro projeto da parceria entre o INC_Photography e o Territoire Sensible, com o apoio do Instituto Inclusartiz.

Os participantes são 10 fotógrafos brasileiros: André Cunha, Bernardo Dorf, Leonardo Jucá, Lucas Pacífico, Marcelo Hein, Márcio Távora, Monica Paes, Paola Vianna, além de Helena Rios e Marcelo Greco, coordenadores do projeto Territoire Sensible no Brésil.

Biótopo é o lugar onde se tecem as sutis interações dos seres vivos com seu meio. A proposta, feita aos fotógrafos, de mudar de biótopo é estimulante para o olhar sobre o mundo, sobre si mesmo, o olhar sobre o olhar.

O Instituto Inclusartiz, fundado em 1998, no Rio de Janeiro, promove a educação e a cultura pela difusão da arte. As exposições e os projetos educativos visam a troca de conhecimento promovem vínculos socioculturais.


Resultados da residência

Os ensaios de Bernardo Dorf, Lucas Pacífico, Marcelo Hein e Márcio Távora realizados durante a residência receberam o selo “MLV 2018”. Eles são apresentados na página dos autores da Missão Lance Ventoux.


André Cunha (Niterói, RJ, Brasil, 1971) é graduado em Desenho Industrial e pós graduado em docência em Artes Plásticas. Desenvolve seu trabalho artístico em fotografia sendo representado pela Galeria Utópica, São Paulo, onde realizará sua primeira exposição individual em abril de 2018. Participou do evento Caravana Magnum, 70 anos, no Festival de Fotografia de Tiradentes e no Rio de Janeiro. Expôs na Galeria Espaço 1338, São Paulo. Recebeu Menção Honrosa no Prêmio Brasil Fotografia 2017 pelo trabalho Santuário.


Bernardo Dorf (São Paulo, SP, Brasil, 1953) é pós graduado em fotografia pelo Centro Universitário SENAC, São Paulo, 2010. Expôs individualmente seu trabalho Purple Rain em 2015 na Galeria Sancovsky, São Paulo. Desde 2011 participa de exposições coletivas em São Paulo. Publicou independentemente os livros: Zero to infinite, 2011; Plantel Renovado, 2015; Purple Rain, 2015. Participou da publicação Identidade, Revista Liris #1, 2015.

www.bernardodorf.com | www.mundoliris.com


Leco Jucá (Manaus, AM, Brasil, 1975) Vive e trabalha no Ceará. É formado em jornalismo pela Universidade Uninorte, mas dedica-se principalmente à fotografia autoral. Participou de convocatórias coletivas e workshops promovidos pelo fotografo Marcelo Greco.


Monica Paes (São Paulo, SP, Brasil, 1975) é formada em Psicologia e Direito. Atua como advogada e, desde 2015, desenvolve também seu trabalho autoral com fotografia. Atualmente desenvolve um projeto de promoção de jovens fotógrafos por meio da apresentação de seus trabalhos para possíveis representantes e por meio da realização de vivências em diferentes culturas – em intercâmbios e residências artísticas.


Paola Vianna (São Paulo, SP, Brasil, 1983) é graduada em Publicidade e Propaganda pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP, 2006). Desde 2005 trabalha na área de fotografia tendo passado por redação de revista, estúdio de moda e por agências de publicidade. Participa de grupos de estudo de fotografia autoral com artistas como Marcelo Greco, Carlos Moreira e Gal Oppido. Expôs individualmente seu trabalho na Matilha Cultural, São Paulo, e participou de exposições coletivas no SESC Santo André, Museu Brasileiro de Escultura de São Paulo e na Galeria Virgilio, São Paulo. Em 2017 publicou seu primeiro livro Entre chiens et loups, editado pela Sensible Edition.